Orgulho & Preconceito – 1940 e 1980

Graças a internet, mais precisamente ao Google, consegui achar esse filme para download. Eu pretendo ver todas as adaptações que já foram feitas de Orgulho & Preconceito, e acredito que vi quase todas. Já assisti a minissérie da BBC de 1995, o filme de 2005, Bride & Prejudice (filme de Bollywood), Lost in Austen e recentemente essa versão de 1940 e minissérie de 1980. Tem uma versão de 2003 também, mais voltada para o público teen, em uma releitura ‘moderna’. Se é para modernizar, gostei muito mais do que foi feito com O Diário de Bridget Jones.

A versão de 1940, a primeira feita, é a pior de todas na minha humilde opinião. E não é por ser antiga, não tenho nada contra um filminho preto e branco de vez em quando. E vamos às razões por eu ter ‘odiado’… O figurino não é original da época do livro (1813), eu não consegui identificar muito bem de que época era aquele figurino que eles usaram, mas li no imdb.com que o figurino desse filme foi reaproveitado de O Vento Levou (que se passa na época da Guerra Civil Americana) então quer dizer que eles erraram a mão em uns 50 anos. Eu sei que naquela época os estúdios trabalhavam com orçamentos bem mais modestos para fazerem os filmes e muita coisa era reaproveitada, mas mesmo assim a estética é importante para eu poder entrar na história. Os vestidos eram espalhafatosos, as mulheres pareciam bolos de noiva, com mangas bufantes exageradas e verdadeiras alegorias na cabeça.

O Mr. Darcy de Laurence Olivier é ruim, achei que até fosse o pior de todos antes de eu assistir a de 1980. Ele é canastrão, meio esquisito, e me desculpem pela expressão, parece que tem um guarda-chuva enfiado lá** de tão duro que se move. Ah, e deram à ele um ar meio abobalhado e puxa-saco (mais apropriado para o Bingley). O Darcy original não permitia nem a si mesmo reconhecer que admirava Elizabeth, lutava contra o sentimento, e o desse filme meio que ficava babando em cima dela e jogando charme. Nada, nada a ver com o Darcy… Não costumo ver filmes antigos, e talvez eu esteja falando besteira, pois o modo de interpretação daquela época pode ser diferente, mas ele me pareceu até meio afeminado, ou devo dizer afetado? Também não gostei da Elizabeth Bennet da Greer Garson, achei ela um pouco velha para o papel (ela já tinha 36 anos – Elizabeth era para ter 20 anos), mas como eu costumo não gostar de nenhuma das Elizabeths, nem vou me dar ao trabalho de comentar.

Por último, mas não menos importante, ele mudaram muita coisa da história original. Muito mesmo… Para quem acha que o filme de 2005 mudou muita coisa, vai mudar de idéia se assistir esse. O de 2005 mudou alguns fatos, mas não mudou a essência da história, enquanto esse mudou as partes mais importantes. Vários fatos importantes para o enredo foram mudados: Darcy não escreve a carta contando a verdade sobre Wickham, Elizabeth não visita Pemberley com os tios (aliás os tios nem aparecem), e o pior de tudo, fizeram uma Lady Catherine que, apesar de intragável como a do livro, no fim se revela razoavelmente boazinha e ajuda Darcy com Elizabeth. Mais diferente do original impossível, pois aprecio muito mais o fato dela involuntariamente ter ajudado os dois quanto tentou separá-los! Não, definitivamente não gostei! Prefiro zilhões de vezes a versão de 2005 e a de 1995. Download do filme e da minisérie de 1980 no mesmo torrent neste link.

Abaixo a cena da proposta de casamento, que foi razoavelmente fiel ao livro, e foi o que deu pra salvar.

Essa versão teria sido muito boa se não tivessem errado tanto na escolha do Mr. Darcy. Assim como a versão de 1995 da BBC é quase totalmente fiel ao livro, o que me agrada muito. Não posso culpar o ator que interpretou o Mr. Darcy nessa série, David Rintoul, pois nunca vi nenhum outro trabalho dele, e muito pode ser culpa do diretor, mas esse é o pior Darcy de todos os tempos. Parece um robô, um ser totalmente desprovido de qualquer sentimento humano. Tem umas cenas que é perturbador mesmo. Juro que se um homem olhasse para mim do jeito que ele olha para Elizabeth nessa versão, eu ia ficar com medo! Honestamente, quase preferi não ter visto essa versão, pois me decepcionei. Para quem tiver interesse no torrent postado acima tem as 4 versoes de Orgulho e Preconceito, 1940, 80, 95 e 2005.


10 Comentários on “Orgulho & Preconceito – 1940 e 1980”

  1. Mariana disse:

    Concordo com a sua opinião. Essas adaptações foram ruins, a que achei pior foi a de 1940, chega até ser engraçada, ri muito em varios momentos.

  2. Carla disse:

    Gostei demais do teu texto!! Também estava procurando uma opinião de comparação dessas versões. Thank you…

  3. não podemos nos esquecer que o cinema da época era daquela forma. Se você já assistiu E o vento levou… vai ver que a atuação é no mesmo estilo de Orgulho e Preconceito 1940.

  4. Merlling disse:

    Essa versão de 2003 que você cita, você tem para compartilhá-la? Assim como vc pretendo ver todas as adaptações.

  5. luisy disse:

    Eu estava procurando todas as versões de orgulho e preconceito -sou apaixonada-, e pelo o que você falou do que foi feito no filme na década de 40, prefiro nem ver. Muito obrigada.

  6. Ana Souza disse:

    Samanta!

    Muito obrigada por me poupar tempo e trabalho!

    Definitivamente tenho muita afinidade com a sua opinião. Estava procurando sobre versões anteriores de O&P e esse POST veio a calhar.

    A versão de 1940 desisti!!! Estou começando a ficar preconceituosa quanto aos filmes antigos… Tenho me decepcionado bastante com eles.

    Estamos com sérios problemas de produção: se assistimos filmes antigos, nos parecem muito rudimentares. Se assistimos as versões recentes, sinto que a preocupação com o enredo é secundária em relação a efeitos especiais e demais aspectos técnicos… As séries da BBC me parecem caricatas demais!!! Sempre insisto em assistir, mas no fim o resultado é o esperado. Produção de segunda.

    A versão de 1980, tirando o Mr. Darcy, parece boa. Vou assistir essa (afinal, ninguém pode ganhar de Mathew e odiar outros Mr. Darcy já é padrão para mim).

    Quanto a 1995, sem preconceito, eu não suportei Collin Firth! Ele descaracterizou completamente o personagem. Já Lizzie, confesso que não lembro muito bem quando vi, mas pelo que lembro ela era meio sem sal. Não tinha a força que a personagem exige. Sem contar que ela é mais bonita que Jane, outro furo!

  7. Christina disse:

    Meu Deus, então a versão de 1940 meio que contou outra história, pegou o romance da Jane Austen, picotou e formou uma outra história ao próprio estilo. Eu curto filmes antigos, preto e branco, mas pelo visto esse não segue à risca O&P do ponto de vista da autora.

    Já eu adorei a minissérie de 1995 (BBC é padrão de qualidade) e o filme de 2005 (Matthew Macfadyen perfeito no papel), Colin Firth também captou a essência rude e arrogante do Darcy, aquele jeitão altivo, achei que a atuação foi de acordo com o personagem. O filme do Joe Wright não estraga nada em relação ao livro mesmo que tenha mudado uma coisinha aqui e outra ali. Concordo que a estética é importante, o figurino desse filme mais antigo é super nada a ver. Retrataram a época errada. E o Darcy todo duro… A ideia não é ficar todo petrificado, poxa. Hahah fica parecendo que o ator está tenso demais.

    “Juro que se um homem olhasse para mim do jeito que ele olha para Elizabeth nessa versão, eu ia ficar com medo!” Oxi, então é um olhar de psicopata insensível. Acho que tentou passar uma certa frieza, mas falhou miseravelmente. A maneira de olhar do Matthew já é cativante.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s