Companheiros de Viagem – Parte 3

 

Eu não lembrava que esta fic era tão longa. É quase um livro! Então as três partes viraram quatro. Mais uma vez publico sem revisar, mas prometo que quando acabar a parte 4 vou revisar e publicar toda a fic em um arquivo único para quem quiser salvar. O final posto até sexta-feira.

 Companheiros de Viagem – Parte 3

 


Sites de Fanfics

Para quem lê em inglês ou quer tentar se aventurar com o Google Tradutor, estou listando abaixo todos os sites de fanfic que costumo acessar e de onde eu tiro as fics que traduzo e publico aqui. Alguns são de livre acesso, outros tem que registrar nome de usuário e senha para ter acesso.

Fanfiction.net (acesso livre)

Derbyshire Writers Guild (acesso livre)

Pen and Ink  (acesso livre)

Austen Interlude  (acesso livre)

Mrs. Darcy (acesso livre)

Pemberley – Bits of Ivory (acesso livre)

50 Miles of Good Road (requer registro)

Austen Underground (requer registro)

Firthness (requer registro)

Meryton  é o melhor e mais completo de todos; dividido em três categorias: A Happy Assembly (fórum sempre com histórias novas), Meryton Reading Room (histórias listadas por autores), e The Pemberley Library (histórias em formato PDF para imprimir ou salvar). O site requer registro de acesso e é um pouco complicado a princípio mas vale a pena.

Também há o site Jane Austen Fanfic Index  que concentra todos esses sites de fanfics e alguns outros e permite que você busque por livro, quantidade de palavras, classificação etária, etc. O site só pode ser acessado com senha e levei quase três meses para descobrir como obter uma já que não aparece campo para registro no site. Descobri que a senha tem que ser fornecida por um outro site de fanfic a sua escolha, que disponibilize a senha. No meu caso obtive pelo Austen Underground. Como a senha é universal posso fornecer se alguém quiser.

E em português temos o : Jane Austen Fanfics




Matthew Macfadyen lê Orgulho e Preconceito

Ele podia ler a lista telefônica para mim que eu ia achar fascinante. Ouvir ele lendo as palavras de Jane Austen como ela as escreveu então… “In vain I have struggled. It will not do. My feelings will no be repressed. You must allow me to tell you how ardently I admire and love you.”   Ele está lendo a parte da primeira proposta de casamento no Capítulo 23 do livro. Além de ele ser lindo, ele tem uma das vozes masculinas mais lindas que eu já ouvi. Para completar o vídeo tem imagens e trilha sonora do filme. (Suspiro…) Adoro o começo: “Are you sitting comfortably? Then, I’ll begin…” (Vocês estão sentados confortavelmente? Então, eu irei começar…)


Depois da visita a Pemberley – Cena deletada

EXT. DERBYSHIRE – CREPÚSCULO

Darcy está levando Elizabeth e os Gardiners de volta para Lambton. A paisagem acidentada parece ainda mais bonita e dramática na luz do crepúsculo. Elizabeth senta com Darcy que segura as rédeas, enquanto o Sr e Sra. Gardiner sentam-se confortavelmente na carruagem. O Sr. Gardiner sorri largamente para os dois grandes peixes ao lado dele.

Elizabeth: “É tão bonito aqui. Eu ficarei triste em partir.”

Darcy sorri para ela.

Elizabeth: “O senhor tem sido um anfitrião muito atencioso. Tenho certeza que minha tia e tio não falarão de outra coisa por dias.”

Darcy: “Eu recentemente tenho pensado muito sobre como eu pareço e ajo para com os outros.”

Ela sorri suavemente para Darcy.

Elizabeth: “Isso lhe faz crédito, Senhor.”

Tenho certeza que não fui a única a desejar um pouquinho mais daquela visita a Pemberley, mas será que eu fui a única a se perguntar porque o Darcy voltou para Lambton com os Gardiners depois da visita? A cena acima explicaria parcialmente… Se a cena foi gravada ou não permanece mistério. 


Mr. Darcy calling…


Orgulho e Preconceito – Cena deletada

EXT. CAMPO

Darcy galopa pelos campos.

EXT. ESTÁBULO – NETHERFIELD

Darcy, exausto, cavalga até o estábulo. No canto há uma bomba de poço. Ele anda até a bomba, coloca a cabeça debaixo dela e se refresca com água fria.

INT/EXT. QUARTO/ESTÁBULO – NETHERFIELD

De uma janela Elizabeth olha para Darcy.

Darcy olha para cima e por um segundo pega Elizabeth olhando para ele. Ela se afasta da janela. Jane está acordando.

Queria que tivesse essa cena! Acho até que talvez ela tenha sido filmada. A imagem a cima foi tirada de um dos trailers do filme. Aliás de vocês repararem nesse trailer que eu postei abaixo (não tem legenda, mas é mais bonito do que o que temos legendado), vocês vão notar que há algumas cenas que não estão no filme. Ex: Elizabeth no desfile dos militares (0:24), Elizabeth pulando uma poça de lama no caminho para Netherfield (01:27), Mr. Darcy olhando triste quando Elizabeth vai embora de Pemberley (01:54). E o galope de Darcy (1:59). E fora que algumas cenas parecem ter alguns ângulos diferentes. Ah… e a narração: ‘a história de uma mulher moderna que descobre que a única pessoa que ela não pode suportar, é o único homem que ela pode não ser capaz de resistir.’

Bem que podiam lançar uma edição especial para colecionadores, com cenas estendidas e deletadas. Eu com certeza ia pagar uma boa grana por esse DVD!


Cena do amanhecer – O&P – Roteiro original

O roteiro é a primeira base de um filme, e ele pode mudar com base nas opiniões do diretor e outros envolvidos no filme. O roteiro abaixo é parte do primeiro feito para Orgulho e Preconceito, referente aquela linda cena do amanhecer:

Elizabeth sai para o campo aberto. As névoas estão começando a evaporar. Da névoa ao longe uma figura emerge. Seu coração dispara. Ela está sozinha, vulnerável. Então ela vê que é Darcy.

Elizabeth: “Sr. Darcy!”

Darcy: “O que está fazendo aqui fora tão cedo?”

Elizabeth: “Não consegui dormir.”

Darcy: “Nem eu. Eu tenho estado acordado a maior parte da noite.”

Elizabeth mal sabe como reagir a esse encontro inesperado. De forma bastante educada ela agradece ao Sr. Darcy.

Elizabeth: “Sr. Darcy, eu preciso agradecê-lo pela sua bondade incomparável para com ambas minhas irmãs. Eu sei que bondade o senhor fez pela pobre Lydia e suspeito de sua mão na feliz resolução para Jane também.”

Darcy: “Estou alarmado que saiba do que eu tenho estado tão a sério em manter em silêncio. Mas você deve saber que a sua felicidade foi um dos meus principais incetivos.”

Elizabeth olha para Darcy.

Darcy: “Eu sei que é muito generosa para brincar comigo. Eu acredito que falou com minha tia ontem à noite e isso me fez ter esperanças como raramente já me permiti antes. Se os seus sentimentos ainda são os mesmos de Abril passado me diga imediatamente. Minha afeição e anseios não mudaram, mas uma palavra sua irá me silenciar para sempre.

Elizabeth fica em silêncio.

Darcy: “Se, no entanto, os seus sentimentos mudaram…

Elizabeth olha para ele.

Darcy: “Eu teria de lhe dizer, você me enfeitiçou, meu corpo e alma e eu a amo e amo e amo. E nunca mais desejo me separar de você a partir de hoje.

Elizabeth olha para ele. Ela não diz uma palavra. Darcy está olhando-a fixamente por uma resposta. Uma lágrima escorre pela bochecha de Elizabeth.

Elizabeth: “Estou muito feliz de informá-lo que não só os meus sentimentos mudaram, não há outras palavras que poderiam me dar maior prazer.”

Darcy a olha fixamente. Ambos começam a chorar. Darcy muito, muito lentamente e gentilmente toca o rosto dela. Ela fecha os olhos. Eles se beijam. Ela toca o rosto dele com a mão, o beijo torna-se apaixonado.

Ainda bem fizeram algumas mudanças, não acho que gostaria de ver o Mr. Darcy chorar. Não que eu tenha alguma coisa contra homem chorar, acho até bem fofo, mas acho que fugiria muito do personagem. Mas sinto falta da Elizabeth dizer algo além de: ‘Suas mãos estão frias.’ Tudo bem que o olhar e o gesto dizem tudo, mas o coitado abriu o coração e ela responde isso? E quanto ao beijo, digo com toda a convicção que não fez falta para mim. Aliás devo ser a única ‘romântica’ do mundo que não gosta de ver beijos em filmes, principalmente de época, gosto de coisas mais sutis. O final alternativo do DVD é lindo, mas não assisto com frequência, e não me fez gostar mais ou menos do filme. E vocês o que acham?

P.S. A imagem do roteiro achei em um site. A tradução ‘tabajara’ é minha mesmo 🙂 .


Companheiros de Viagem – Parte 2

Prometi não demorar para postar a segunda parte e estou cumprindo. Até que foi rápido pois essa parte tem o dobro de páginas da primeira. Peço desculpas de antemão pelos erros de digitação e português no texto, mas simplesmente não estou com paciência para revisar agora. Tem várias coisas que eu gosto nessa parte, mas não vou dar nenhum spoiler. Aguardo comentários 😉 . A terceira parte é ainda mais longa e não sei quando conseguirei postar, mas pretendo fazer logo.

Companheiros de Viagem – Parte 2


Jane Eyre – 2011

Há mais de um ano eu esperava pela estréia desse filme, e finalmente percebi que aqui no Brasil não vai passar nos cinemas. A estréia na Inglaterra foi em Março de 2011, mas por aqui nada foi divulgado então acredito que vá direto para DVD. Como isso ainda pode levar muito tempo resolvi procurar o filme para download. Depois de várias tentativas consegui encontrar o filme em arquivo AVI de alta qualidade, mas não tem legenda.

Eu assisti a série da BBC de 2006 e em seguida li o livro, e me apaixonei pela história. É difícil não fazer comparações entre a série e o filme, mesmo que seja injusto pois o filme tem metade da duração da série. Um ponto que sempre conto a favor em adaptações é a fidelidade à obra original, e essa versão de Jane Eyre não decepciona nessa parte. A única mudança maior é que o filme começa com Jane perdida nas montanhas e sendo encontrada por St. John Rivers; a partir daí a história é contada em flash-backs, das crueldades sofridas na infância ao romance com Mr. Rochester. O que realmente senti falta foi daquele toque de humor obscuro que existia nas conversas entre Jane e Rochester, que na série foi tão bem retratado, e principalmente daquela parte em que ele se veste de cigana para ‘ler’ a mão de Jane. De resto o filme é muito bom; o final eu diria que foi um pouco apressado demais. As 17 páginas do reencontro deles no livro, viraram isso:

Rochester: Pilot. Quem está aí? Esta mão. Jane Eyre. Jane Eyre.
Jane Eyre: Edward, eu voltei para você. Fairfax Rochester, sem nada para dizer.
Rochester: Você é completamente um ser humano Jane.
Jane Eyre: Eu conscientemente acredito que sim.
Rochester: Eu sonho.
Jane Eyre: Desperte então.

E fim! Nem acreditei quando subiu a tela com os créditos. É tão bonito o reencontro deles no livro e na série, gostaria que eles tivessem mostrado mais disso. Quando Rochester conta para Jane que chamou por ela em desespero, e que ela percebe que ouviu ele há quilômetros de distância, como se suas almas estivessem conectadas. Simplesmente lindo. Jane Eyre é interpretada por Mia Wasikowska (Alice no País das Maravilhas), e Michael Fassbender é o Mr. Rochester. Ainda prefiro o Toby Stevens, sem dúvida, ele é mais charmoso. Não posso deixar de mencionar a Judi Dench como a Sra. Fairfax. Adoro o trabalho dela, da megera Lady Catherine em Orgulho e Preconceito à adorável Miss Matty em Cranford, ela é maravilhosa. Uma curiosidade, acredito que a casa do Mr. Rochester,Thornfield Hall, é a mesma da série de 2006, Haddon Hall, segundo o IMDB e wikipedia. Hum… me deu vontade de ler o livro de novo! 18/08. Link para download avi + legenda: Jane Eyre – 2011


Companheiros de Viagem – Parte 1

Estava devendo uma tradução, e essa fic é bem longa, então decidi postar em três partes. O título original é Traveling By Post, mas a tradução não fica legal. Post era uma carruagem pública que carregava as cartas e passageiros entre uma cidade e outra, e tinha rotas e horários estabelecidos. Seria como o nosso ônibus. Nesse conto, Darcy não chega em Pemberley um dia antes do esperado, e consequentemente ele e Elizabeth não se encontram. O acaso os reúne algum tempo depois em uma viagem até Londres.

Clique aqui para ler: Companheiros de Viagem – Parte 1