Austenland – Shannon Hale

Jane Hayes é uma mulher solteira de 32 anos que mora New York e tem uma carreira como design gráfica. Ela possui uma coleção de relacionamentos fracassados e uma obsessão: Orgulho e Preconceito, mais precisamente Mr. Darcy. Esta obsessão ela tenta esconder de todos, exceto é claro de sua melhor amiga Molly, mas um dia durante uma visita de sua mãe e uma tia-avó que ela mal conhece o segredo é descoberto pela idosa, que conversa com Jane e tenta aconselhá-la. Jane toma a decisão de desistir dos homens para sempre, incluindo Mr. Darcy, e todo o mundo de fantasia em que ele sempre figurou. Então a tal tia-avó morre e em seu testamento ela deixa para Jane uma viagem de três semanas para um lugar no interior da Inglaterra chamado Pembrook, onde é prometido uma total imersão na época da Regência, precisamente o ano de 1816. À princípio dividida sobre fazer ou não a viagem, Jane decide por fim ir, com a resolução de, quando voltar para a vida real, irá esquecer dos homens, das fantasias românticas, de Mr. Darcy e até chegar ao extremo de jogar os DVD’s de Orgulho e Preconceito no lixo.

Quando ela chega em Pembrook ela descobre um regime de comportamento rígido para manter a atmosfera de época; todos devem se vestir, falar e se comportar como se realmente estivessem no século 19. Jane, assim como todas hóspedes, ganha um novo nome para sua estadia, passando a ser chamada de Miss Erstwhile. No primeiro dia ela conhece um exemplar típico das hóspedes do lugar: Miss Elizabeth Charming, uma mulher de 50 e poucos anos, que abriu mão de um carro novo e um mês de férias na Itália para ir para Pembrook e ser cortejada como se fosse uma mocinha de época. Jane também conhece os cavalheiros, que ela sabe serem todos atores interpretando seus designados papéis inspirados em personagens de Jane Austen: o charmoso Coronel Andrews (inspirado no Coronel Fitzwilliam com um quê de Henry Crawford), o sério e indiferente Mr. Nobley (totalmente Darcy) e mais tarde o Capitão East (Capitão Wentworth). Ah, e não devo me esquecer do jardineiro, Theodore, que mais tarde revela sua ‘verdadeira’ identidade como Martin. Jane se envolve com Martin, pois além de ser alto e lindo, ele é o único vínculo que ela tem com a realidade fora do mundo de faz de conta de Pembrook. Mas ela também se sente atraída pelo reservado Mr. Nobley, e ele também parece interessado nela. Mas então ela começa a se questionar sobre o que é real e o que é faz de conta. Quem está atuando, quem está sendo verdadeiro? Será que ela pode permitir se apaixonar por um ator que está sendo pago para cortejá-la?

 Há tempos que eu não lia algo que gostasse tanto. Amei. Um verdadeiro agrado para fãs de Jane Austen. Eu me identifiquei com Jane Hayes desde o início, quando ela dizia coisas como: “Escute, eu realmente não acredito que de alguma maneira vou acabar me casando com Mr. Darcy. Eu apenas… nada na vida real parece tão certo quanto… oh, deixa para lá.” É justamente como eu me sinto, e é difícil explicar para as pessoas. Eu sei que ele não existe, mas nem por isso deixo de sonhar. Jane tem um passado amoroso bem patético, e durante o livro são listados os 12 namorados que ela teve durante a vida, e o engraçado é que ela conta como namorados homens com quem ela nem sequer saiu em um encontro. É durante esse retiro num mundo de fantasia, tentando exorcizar Mr. Darcy da sua vida, é que ela redescobre a sua auto-confiança, e começa a ver sua vida amorosa com mais clareza. Eu torci pelo Mr. Nobley desde o início, a aura de Mr. Darcy em torno dele meio que tornou impossível eu sentir o contrário. Não vou entregar o final pois mesmo quem não tiver a oportunidade de ler o livro (só foi publicado em inglês), pode ver o filme que é para sair no próximo ano. Estou ansiosa pelo filme, tomara que faça jus ao livro. O elenco conta com Kerry Russel (da série Felicity) como Jane Hayes e JJ Feild (Mr. Tilney em Northanger Abbey 2007) como Mr. Nobley. A data certa para lançamento ainda não foi divulgada.

Jennifer Coolidge (Miss Charming), Keri Russell (Jane Hayes) e a diretora Jerusha Hess no set de Austenland

O livro é curtinho (120 páginas) e mesmo quem não manja muito de inglês pode dar uma tentada com a ajuda do tradutor do Google. Eu recomendo! Segue o link para download para quem se interessar: Austenland

 Alguns trechos do livro:

Conversando com a melhor amiga sobre a obsessão por Mr. Darcy:

Molly: “… e você definitivamente não precisa de Mr. Darcy.”

Jane: “Eu sei. Quer dizer, ele nem ao menos é real. Ele não é, eu sei que ele não é, mas talvez…”

Molly: “Não há nenhum talvez. Ele não é real.”

_____________________________________________

 Conversando com Martin, o jardineiro:

Martin: “Eu não consigo entender as mulheres quem vem aqui (Pembrook), e você é uma delas. Eu não consigo compreender isso.”

Jane: “Eu não acho que eu poderia explicar isso para um homem. Se você fosse uma mulher, tudo que eu teria que dizer é ‘Colin Firth em uma camisa molhada’ e você iria dizer ‘Ah’.”

_____________________________________________

 E a conversa com ele, não vou dizer qual deles para não estragar, mas as coisas que ele diz para ela são perfeitas demais para deixar de fora:

Ela: “Mas espere, pare, não é para acabar assim! Você é a fantasia, você é o que eu estou deixando para trás. Eu não posso embrulhar você e te levar comigo.”

Ele: “Miss Hayes, você já parou para considerar que você pode ter entendido isso tudo ao contrário? Que na verdade você é a minha fantasia?”

(…)

Ele: “Você não tem que decidir nada agora. Se me permitir ficar perto de você por um tempo, então nós podemos ver.”

Ela: “Apenas ficar perto..”

Ele: “E se eu não fizer você se sentir a mulher mais bonita do mundo todos os dias da sua vida, então eu não mereço ficar perto de você.”

🙂 Fala sério… que mulher resistiria a um discurso desses? Eu certamente não.


24 Comentários on “Austenland – Shannon Hale”

  1. Renata disse:

    Já tinha lido sobre este livro, e agora depois dos seu comentário, já até baixei para ler…Rs!
    Meu inglês não é lá essas coisas, mas acho que da para 120 páginas…

    Entendo o fato de sonhar com o Mr Darcy, mesmo sabendo que ele não é real. Me sindo a beira da loucura, ou de pelo menos um ataque de nervos! Se eu tivesse pelo menos 15 anos…mas com 20 e alguns…eu nunca deveria ter lido O&P!!! Rs

    • Minha fascinação por ele tem várias causas? acho que o Mr. Darcy representa o homem ideal fisicamente: moreno, alto, bonito. Mas para mim ele não é um ideal de perfeição, um príncipe encantado, bem pelo contrário. Ele é o homem ideal porque ele muda pelo amor que ele sente por Elizabeth. É por ela que ele deixa de lado seu orgulho, arrogância, é por ela que ele se torna um homem melhor. Que mulher iria querer mais do que isso?
      Afinal perfeição deve ser uma coisa chata para caramba…

      • Anna Flávia Ferreira disse:

        Concordo! o verdadeiro amor mudou o seu orgulho. Engraçado que das (muitas)vezes que ele era arrogante com suas palavras quando estava com a Elizabeth, ele fez parecer que odiava a si próprio pelo o seu comportamento rs.

  2. liachristo disse:

    Nossa, fiquei doida pra ler…
    Me roendo de curiosidade aqui, ainda mais depois de ler as frases, que o misterioso fala pra ela. Que mulher resistiria?
    Acho que vou tentar traduzir no google e ler, depois passo aqui e te falo o que achei.
    Vlw pela dica.
    E quanto a sonhar com um Mr. Darcy… Eu ainda sonho, apesar de ter 45 anos e ser casada há quase 24 anos…
    Ainda bem que sonhar não é proibido… kkkkkkk

  3. Sandra disse:

    olá
    Eu já tenho esse livro baixado há algum tempo mas ainda não me aventurei a lê-lo.
    Espero fazê-lo muito brevemente.

  4. Sandra disse:

    olá
    Eu já tenho esse livro baixado há algum tempo mas ainda não me aventurei a lê-lo.
    Espero fazê-lo muito brevemente.
    bjs

  5. Évila Santana Mota disse:

    Olá Samanta !!!!!
    Já tinha ouvido falar no livro em outro blog de Jane Austen porém não tive tempo para ler.
    Mas como você me relembrou vou ler.
    Ah concordo no que você diz a respeito do Mr Darcy o que faz as mulheres se apaixonar por ele é pelo fato dele mudar seu jeito por causa de Elizabeth ele é o tipo de homem que faz de tudo para conquistar a mulher amada e seu amor é fiel e isso faz com nós pobres mortais se apaixone e sonhe com um Mr Darcy.
    Abraços

  6. Ingrid disse:

    Jane: “Eu não acho que eu poderia explicar isso para um homem. Se você fosse uma mulher, tudo que eu teria que dizer é ‘Colin Firth em uma camisa molhada’ e você iria dizer ‘Ah’.”
    É, isso explica tudo mesmo! HAUSIAHSIUAHSIUHSAUIHSIU

  7. claudia moura disse:

    Olá,samantha.Já estou aguardando a estreia.Eu não conseguiria apontar um motivo para “AMAR” MR Darcy.É maravilhoso vê-lo suavizar seus modos mas não sua essência em favor do amor de uma mulher que devia ser agradada.Acho que ele é perfeito com suas imperfeições,seus momentos de silencio e suas opiniões fortes.Com Lizzie,ele aprendeu a baixar a blindagem de arrogante e orgulhoso que ele erguia em torno de si contra o mundo.Fora que ele é TUUUDOOO de BOOOOOMMM(queria saber quem escolheu Colin Firth e MM para o papel),meus agradecimentos eternos.Mas não consigo imaginar “nós todas” nos apaixonando por MR Collins(incluindo Lizzie) se ele reagisse como Darcy.BJS

    • Oi Claudia,

      O que eu gosto ainda mais em Mr. Darcy é que ele se apaixona por Elizabeth pelo que ela é, pela personalidade dela, não só pela beleza física. Em uma época em que as mulheres tinham que ser recatadas e submissas, ele se apaixonou por ela ser justamente o contrário.
      Com certeza as escolhas de Colin Firth e Matthew foram perfeitas e fizeram toda a diferença.
      Bjos

  8. Concordo plenamente com vocês. Eu já sou casada faz 52 anos, estou beirando os 70 e continuo apaixonada pelo Sr. Darcy. O meu marido tem um que dele. Colin Firth me aguarde.ah, ah ah….

  9. R disse:

    Fiquei muito feliz em saber q a Kerry Russel participará desse projeto, ela ficará perfeita! Tô doida pra ler esse livro nem vou tentar ler em inglês, meu inglês é quase inexistente (culpa do governo com as aulinhas de 45 minutos por semana nas escolas) deixando de lado esse meu protesto ao descaso com a educação no país… kkk, acho q o filme vai ser ótimo tb, até lá espero q o livro já tenha sido publicado em português, se q existem planos pra q isso aconteça.

    Há!!! A Stephenie Meyer é uma das produtora desse filme se ñ me engano.

    P.S: As pessoas tendem a achar que é mais fácil estar apaixonada por um personagem do século dezoito pq vc tem 15 ou 16 anos (como no meu caso), NÃO É MINHA GENTE, eu sou tratada como um ALIEN, exeto pela minha mão q é quase tão fissurada quanto eu. É de grande ajuda q ela tb seja, nós nos apoiamos uma à outra nessa loucura td…

    • Oi Renata,

      Acho que vai demorar para sair uma edição em português, isso se sair. Até pensei em traduzir já que não é muito longo, mas não sou muito boa em traduzir linguagem moderna.

      Eu sempre estudei em escola pública, nem fiz curso de inglês pois era muito caro. Me considero auto-didata; aprendi escutando músicas em inglês e procurando as letras, assistindo a filmes e seriados legendados e traduzindo pequenos textos. Como não tenho com quem praticar conversação eu leio em voz alta, ou falo comigo mesma como uma louca. Acredite, se você tem vontade de aprender, vale a pena o esforço!

  10. R disse:

    KKKK Viu?? o q eu disse sobre a péssima educação!! desculpem os erros de ortografia gente, a maioria foi pela pressa com q digitei.

  11. […] de cinema Sundance. Para quem não sabe do que se trata, dá uma olhada no meu post sobre o livro aqui. O filme tem o JJ Feild (Mr. Tilney <3) como Mr. Noble – o Mr. Darcy da história, e Keri […]

  12. Juliana Braga disse:

    Samanta, como sempre vc nos honra com seus posts maravilhosos,
    espero que esse filme passe no brasil e em Manaus onde eu moro.
    Só de pensar em algo sobre O&P, já fico ansiosa. Vamos aguardar.
    Vou te passar um e-mail pra vc me mandar o livro, e queria te pedir outro
    vc me manda os da Abigail que vc conseguiu baixar, eu não consigo baixar
    nada dela… E por sua causa com a tradução de Iniciative(…), ela é maravilhosa
    bem que vc podia nos premiar com mais uma tradução:), vc é tudooooo…..

  13. […] Mesmo com alguns pontos negativos, eu gostei da leitura, e recomendo Midnight in Austenland, principalmente para quem gostou do primeiro livro. P.S. Para o livro fazer sentido tem que ler Austenland primeiro para não ficar boiando! Post sobre Austenland aqui. […]

  14. Else disse:

    Baixei (obrigada pelo link!), li e … não gostei!
    Parece mais um roteiro de filme e achei o estilo uma mistura de Bridget Jones com Lost in Austen. A escritora tb não é muito talentosa, na minha opinião.

    Bem, é a minha opinião.

  15. Jaiana disse:

    Olá,

    Samanta, tu já pensou em traduzir o livro? tu me enviou duas traduções e achei ótima.

    Na esperança que vc traduza por que meu inglês é muito tosco.

    Bjs.

    • Olá Jaiana,

      No momento não estou fazendo traduções, mas Austenland está na lista de projetos futuros. Tenho esperanças que com o lançamento do filme, o livro tenha mais notoriedade no Brasil e alguma editora se anime a publicá-lo.
      🙂

  16. Laura Milton disse:

    Samanta, muito obrigada pelo livro. Já recebi, já baixei e já vou começar a ler. Se tiver outros, mais desconhecidos do brasileiro, como este, também traduzido, pode enviar para mim. Fique com Deus.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s