The Many Lovers of Miss Jane Austen

Para marcar o 200 º aniversário da publicação do primeiro romance de Jane Austen, Razão e Sensibilidade, a Professora Amanda Vickery, uma das cronistas líder da Inglaterra Georgiana, explora o fluxo e refluxo da popularidade de Austen e a atração que sua ficção tem sobre nós agora.

Neste programa de 60 minutos, Vickery considera o que há nos seus enredos e personagens que continuam a encantar, divertir, consolar e provocar. Seus fãs insistem que sua atual popularidade é devido à intemporalidade do mundo ficcional criado por Austen, mas para Vickery a pergunta é: Por que seus romances entram e saem de moda?

O que interessa Amanda é como diferentes períodos e gerações têm olhado para o seu próprio reflexo nos personagens e enredos dos romances. Ela quer descobrir o que isso diz sobre eles, bem como sobre Austen. Entrevistando uma variedade de estudiosos literários, cineastas e devotos fantasiados que freqüentam as convenções de Austen, Vickery também vê a venda de um incrivelmente raro manuscrito de um romance de Austen inacabado. Fonte.

A primeira vez que eu li o título desse programa imaginei que era algo sobre um passado escandaloso que “descobriram” sobre a Jane Austen. Mas felizmente não é nada disso. A palavra ‘lover’ geralmente logo vem a mente a tradução ‘amante’, mas não no sentindo certo nesse caso. Os ‘lovers’ nesse caso somos nós, fãs de Jane Austen e de tudo que tem a ver com ela. Esse programa é justamente sobre isso, como o mundo veio a amar Jane Austen e suas obras e a importância que ela tem para a literatura. O programa foi ao ar em 23/12/2011 na Inglaterra, mas já está disponível para assistir on line nesse site  aqui ou para fazer o download através desse link: The Many Lovers of Miss Jane Austen . Não tem legendas.


3 Comentários on “The Many Lovers of Miss Jane Austen”

  1. claudia garcia moura disse:

    Samanta, assiti ano passado em um programa da Globonews um documentário também sobre esse mesmo tema.Porque Jane Austen faz tanto sucesso.Foi bem bacana.Um dos meus sonhos é ir em uma dessas conveções na Inglaterra.Respirar a atmosfera Austen.Ficaria super feliz!!!Na verdade eu me sinto como Amanda aquele personagem de Lost in Austen.Ah se fosse possível…

    • Évila Santana Mota disse:

      Eu assim como você Claudia também tenho vontade de participar de uma convenção na Inglaterra sobre Jane Austen.
      Na cidade de Bath, se eu não me engano em novembro tem uma convenção bastante interessante que todos se vestem com a roupa da época de Jane, passeiam de carruagem e tomam seu famoso chá com guloseimas e isso tudo em homenagem a Jane .
      Meu sonho é participar dessa convenção .
      Você tem maiores informações no site da janeausten society in bath.

  2. Luciana disse:

    Vou postar o mesmo comentário que postei lá no facebook sobre este programa:

    “Conseguir assistir este especial com legendas em inglês e curtir bastante! Foi um prazer conhecer um pouco mais da Jane Austen e a importância das suas obras neste documentário tão bem feito e apresentado. (Avisando que tem Spoiler)

    Como fã não tem como não se identificar com as fãs da Jane Austen de todo o mundo.

    No documentário mostrou o livro da “Sharon Lathan” que comprei em 2009 e também o quebra-cabeça que ganhei da Alexandra.

    Entendi a emoção da apresentadora ao ver ao vivo e a cores (bem pertinho) o manuscrito original de “The Watson”, é realmente emocionante ler algo do próprio punho da querida Jane. E este original foi para leilão este ano e foi vendido por 850 mil libras (Uau!).

    Amei a parte em que uma professora historiadora diz que Winston Churchill leu Jane Austen no meio da 2ª Guerra Mundial e disse que ela o curou. Ele disse: “Antibiótico e Jane Austen me fizeram muito bem após uma febre”.

    Um momento emocionante foi saber que o escritor Rudyard Kipling perdeu o único filho em batalha na 1ª Guerra Mundial e amenizou a sua dor lendo Austen em voz alta para sua esposa e filha. Ele depois escreveu um conto chamado: “The Jainetes set in the batlefields of the Westerns Front”.

    Essa passagem me lembrou a série “Downton Abbey” nesta 2ª temporada, no qual mostra com grande realidade as trincheiras da 1ª Guerra.

    Durante a 1ª Guerra uma revista perguntou aos homens em batalha o que mais eles queriam neste período, eles disseram: “Cigarros e alguma coisa para ler”. E quais tipos de livros esses homens queriam? Eles não queriam ficção sobre guerra. Eles gostavam de contos fortes e domésticos e não há nada melhor do que Jane Austen. Então os livros da querida Jane consolaram os soldados neste período tão turbulento de suas vidas. Há ótimos relatos de soldados no Museu da Guerra sobre a importância dos livros da Jane Austen para eles.

    Foi mostrado cenas de uma adaptação de “O&P” de 1967 da BBC, que eu já tinha conhecimento, mas nunca tinha assistido cena nenhuma. E também da adaptação de “O&P” de 1980 e 1995, com a famosa cena do lago com o Colin Firth.

    Enfim, não vou relatar mais para não estragar as novidades de quem ainda vai assistir, mas achei que foi um documentário maravilhoso e com bastante novidades.”


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s