Sorria! Hoje é sexta-feira!

 


21 Comentários on “Sorria! Hoje é sexta-feira!”

  1. Dayse Ruth A. V. de Araujo disse:

    Me perco nesse sorriso lindo do Mr.Darcy!!!!

  2. Évila disse:

    Adorei essa gifs.
    Samanta desculpa pelo incomodo mas eu não consegui baixar o filme O Diario de Bridget Jones será que você poderia me ajudar.
    Beijos.

  3. Deborah disse:

    Essa parte que o Bingley ri, quando eles estão em Netherfield é a coisa mais bizarra do mundo. Eu nunca sei o que fazer quando vejo essa cena: se eu me enfio num buraco, tomada por vergonha alheia com a risada pateta dele ou se eu dou gargalhada. A segunda opção é sempre a mais frequente…😛

  4. Ingrid disse:

    Gente, o que é esse sorriso do Matthew? TODO MUNDO já falou sobre isso, mas não custa nada reforçar.
    LINDO, LINDO, LINDO!

  5. Deisy Rodrigues disse:

    Esse sorriso do Matthew é divinamente, torturante de delicioso de se ver!

  6. Évila disse:

    Samanta muito obrigada consegui baixar o filme .
    Beijos.

  7. Luciana disse:

    Super alto astral!!!!!! Bjs

  8. Rafaela disse:

    Oi tudo bom ? Gostaria de saber se você ainda tem a tradução de Mr.Darcy Diares, eu gostaria muitíssimo, poder lê-lo … Caso ainda tenha este é meu email: rafaelaff@live.com, grata desde já pela atenção!

  9. josiane disse:

    Acabei de ler o livro pela primeira vez essa semana e como tenho o costume e pensar em finais tragicos para finais felizes e vice-versa pensei em um final alternativo para o livro.

    A Elisabeth recusa o segundo pedido de casamento do MrDarcy, alegando aos argumentos que sua tia usou para persuadi-la, dizendo que não queria que ele estragasse o nome da família casando-se com uma moça de classe inferior.
    O MRDarcy irritado casa-se com sua prima que com a saúde frágil não demora muito para morrer, pouco tempo depois sua tia também morre de desgosto por causa a filha, o MRDarcy torna-se mais rico com a fortuna da tia.
    Nesse momento surge uma pequena esperança em Elizabeth que o MRDarcy possa fazer o pedido a ela uma terceira vez visto que todos os impecílios que a levaram a rejeição não existem mais. Ao invés disso o MRDarcy se casa com a irmã do MRBingley.
    Elizabeth passa os seus dias cuidando do pai agora doente se ve solteirona quando suas duas ostras irmãs finalmente se casam.
    Quando o pai morre ela se ve obrigada a ser tratada como criada para o MRCollings para se sustentar e também a mãe, o que indiretamente significa trabalhar para o MRDarcy já que esse herdou a fortuna da tia.
    Tragicamente a irmã do MRBingley, morre no parto ao dar a luz ao seu primogênito.
    So então o MRDarcy tem seu 3º pedido de casamento aceito pela Elizabeth.

    • Ai que horror Josiane! kkkkkkkkkk Eu não ia querer esse livro se tivesse esse final não…
      não gosto nem de pensar no Mr. Darcy se casando com qualquer outra que não fosse a Elizabeth.;

      • Miss Dorrit disse:

        Falando em versões dramáticas, tem uma que eu li que chama The Mistress Black Veil:A Pride and Prejudice Vagary. Vc já leu ,Sam? Pra variar, tem algumas ou muitas coisas a serem perdoadas, mas achei que acabou valendo a pena ler.Mesmo!!
        Enfim, a capa é a Elizabeth reclinada num túmulo.
        Nessa historia, pra quem não conhece,depois da primeira proposta,Mr Bennet, Mary e Lydia e os Gardiners morrem por causa de uma gripe, e Mr Darcy fica sabendo das mortes, mas o relato incorretamente inclui Lizzie. Cinco anos se passam e ele permanece de “luto” sem se recuperar pela perda e por não ter conseguido encontrá-la antes que ela morresse. Só que Lizzie vai morar em Londres com Jane, Kitty, Mrs Bennet(doente) e o filhinho de Lidia e Wickham criando ele como filho. Depois de tentar trabalhar como governanta, sem sucesso, Lizzie, na miséria, toma uma decisão desesperada e resolve ganhar dinheiro como prostituta de luxo. Sem coragem pra fazer isso de cara limpa, ela inventa uma personagem espanhola que usa um véu preto e em sua 1ª participação pública, dá de cara com quem??? Mr Darcy, é claro, que acaba sendo convencido pelo Cel a ir a ese tal baile. Deslocado, como é de se esperar, ele tem sua atenção despertada pela tal espanhola, em parte porque ela lembrava Lizzie e porque ela parecia tão deslocada quanto ele. Num gesto de proteção, vendo que uns canalhas estavam de olho na mulher,ele acaba pagando uma fortuna pelos serviços dela full time por 3 meses (que seriam suficientes pra ela não precisar ter mais ninguem depois) e concorda em não tirar o tal véu. Enfim, a historia é dramatica e o fato dela falar e agir de forma a fazê-lo lembrar de Lizzy faz com que ele entre em um dilema por não querer abrir mão da memória e do amor que ainda sentia por Lizzie, mas atraído pela mulher fascinante diante dele. Sem sonhar que a propria Lizzie estava ali todo aquele tempo. Numa noite, deprimido, ele abre o coração e conta pra ela sobre a única mulher que ele amou na vida e que morreu.
        Não é muito fácil imaginar Darcy andando com uma prostituta, quanto mais à luz do dia, mais absurdo ainda usando um véu preto, mas o resto da historia compensa. Principalmente porque o final é feliz!

      • Eu já tinha visto a sinopse desse livro no Amazon, mas não me interessei em ler. Eu não gosto de histórias com muito angst, sofrimento, mesmo que eventualmente o final seja feliz.
        Não consigo imaginar o Darcy andando com um prostituta também, mesmo que ela seja Elizabeth afinal.

        Você lê modernas também? Eu não lia até bem pouco tempo atrás, mas depois da primeira agora procuro intercalar entre modernas e regência.

  10. Miss Dorrit disse:

    Ainda não consegui superar meu preconceito sobre as modernas! Tenho Pemberley by the Sea, mas não consegui passar das primeiras páginas. Li Austenland (e gostei), que não sei em qual categoria se enquadra. Preciso confessar que o tal discurso da tia no inicio do livro me rendeu umas boas horas de reflexão. Aliás, tô tentando ler alguma coisa diferente mas não tô conseguindo largar o vício e continuo emendando um livro no outro.
    Cometi até o absurdo de deixar de viajar no Carnaval pra ficar quieta em casa lendo.
    Voando um pouco mais, eu sou a única que tem vontade conhecer in loco os lugares onde o filme foi gravado? A sala das esculturas existe mesmo na Chatsworth House e trocaram a cena que seria com quadros pra poder usá-las. Eu não tinha reparado, mas a casa é a mesma do filme A Duquesa e do Wolfman.

  11. Miss Dorrit disse:

    Ah, voltando ao assunto das coisas dramáticas, sabe que uns dias que eu tenho uma vontade meio mórbida de ler sobre um Darcy detonado? Acho que é porque acho isso tão improvável… que só pode mesmo ser ficção. E essa sensação de se sentir importante, relevante e necessária de forma constante e permanente a ponto de mudar a vida de outra pessoa é tão utópico que eu acabo gostando de ver isso pelo menos no papel.
    Acho que eu tava num desses picos hormonais quando resolvi ler esse livro!
    Sei que os homens se apaixonam, mas dura pouco e a gente acaba virando alguém normal pro outro. O que me chamou a atenção nesse livro que falei, foi que ele manteve a idéia de mudar seu comportamento mesmo sem tê-la por perto. Porque há quem diga que a mudança que ele demonstra na historia original não seria permanente. só algo que ele faria pra conquistá-la. Geralmente é o que acontece no nosso mundinho. Na rotina da gente é sempre mais fácil ver mulheres abrindo mão das coisas por eles ou simplesmente desistindo de sonhar por não conseguir se iludir mais e não o contrário.
    Talvez porque a vida seja mais fácil sem hormônios femininos!
    Ihhhhh, filosofei demais por hoje!

    • Eu leio modernas e tem algumas realmente muito boas.
      Pemberley by The Sea eu tenho mas não li, mas eu não me interessei pois os personagens não são propriamente Darcy e Elizabeth.
      Austenland eu amei do início ao fim, me identifiquei muito com a personagem principal, mas acho que se enquadra numa categoria diferente do que os ‘what if’ e ‘sequels’ que eu tanto adoro.

      Você não é a única, com certeza, a querer conhecer esses lugares! Fiz uma amiga através do blog, a Deborah (que já contribuiu com uma tradução de uma entrevista com o Colin Firth), e ela passou alguns meses na Inglaterra conhecendo todos esses lugares maravilhosos… Pemberley (Chatsworth 2005 e Lyme Park 95), Longbourn 2005 e a cidade que serviu de cenário para Meryton em 95. Ela conheceu Lyme, Bath… Em resumo, ela realizou um sonho de muitas fãs. Um dia eu quero ir também.

      Quanto a querer ver um Darcy detonado… eu sinceramente odeio quando ele sofre. Não tenho problema nenhum quando é a Elizabeth que sofre, mas ele não dá. Eu acho fofo quando ele sofre por amor, pois ele merece, mas nada muito drástico também.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s