Aventuras pela Inglaterra de Jane Austen: Chatsworth

Mais um post das aventuras da Deborah, dessa vez em Chatsworth – A.K.A. Pemberley de 2005.

CHATSWORTH HOUSE

No outro lado do parque avistava logo a casa de Pemberley, e a estrada, encurvando-se bruscamente, descia em direção a ela. Era um grande e belo edifício, situado na encosta de uma colina, por trás da qual se elevava uma série de outras colinas arborizadas. Defronte da casa, corria um riacho de tamanho regular que, represado, formava um pequeno lago. As suas margens não tinham sido adornadas pelas mãos do homem. Elizabeth ficou encantada. Nunca vira um lugar tão bem dotado pela natureza.” Orgulho & Preconceito

Quem de nós não sonha com o Mr. Darcy? Quem de nós não sonha com o Mr. Darcy em Pemberley? Pemberley é parte de quem o Mr. Darcy é, e se não podemos conhecê-lo, conhecer Pemberley ‘is the next best thing’.

Já fazia algum tempo que eu queria visitar Chatsworth, mas sempre por algum motivo ou outro, acabava adiando o passeio. Finalmente decidi que daquele final de semana não passaria. Eu iria a Pemberley!

Meu dia começou horrível. Reformas no metrô de Londres me fizeram chegar quatro minutos atrasada à estação de trem e perder o meu – pontualidade inglesa pode ser um saco! Que desespero! Felizmente, foi possível usar a mesma passagem para embarcar no próximo trem, que saía cerca de trinta minutos depois (trinta minutos passados correndo pela estação, carimbando os tickets para serem usados de novo… aff!). Finalmente, estava em um trem em direção ao norte da Inglaterra, mais precisamente à cidade de Chesterfield, onde teria que pegar um ônibus até a entrada da propriedade de Chatsworth.

Em pouco mais de duas horas (e pensar que essa viagem demorava cerca de três dias na época da Jane) estava na tal cidade, agora tendo que descobrir onde pegar o ônibus que me levaria ao me destino final.

Ônibus encontrado, passagem comprada (dentro do próprio ônibus). Eu estava a caminho de Pemberley!

Como não fazia ideia de em qual parada descer, prestei muita atenção ao caminho, às placas e a qualquer indicação de que Chatsworth estava próxima. Foi então que vi a tal placa, só que ela sinalizava uma entrada privativa. Desci na parada seguinte e comecei a procurar uma entrada para visitantes. Quando eu começava a pensar que Chatsworth era um mito, vi uma simples entrada de madeira, indicando o começo da propriedade. Ufa! Respirei aliviada pela primeira vez desde que saí de casa horas antes.

Quando digo “entrada da propriedade” é isso mesmo que eu quero dizer. A gente não consegue nem ver a casa por cerca de um quilômetro. Mas o caminho… ahhh! O caminho até lá é lindo! 

Entre muito verde e centenas de ovelhas – todas soltas! – é possível esquecer que a gente vive no século XXI e voltar ao passado por alguns minutos. Então, finalmente, depois de muito caminhar, temos a primeira vista da casa. A emoção é indescritível.

O caminho continua, com mais belezas naturais no caminho, inclusive um rio que corta a propriedade – não posso ver água que me lembro do Mr. Darcy e a tal da camisa molhada. Eu sei, eu sei… Essa é a Pemberley errada para isso, mas não consigo evitar.

Finalmente cheguei à casa. Tenho que compartilhar com vocês a minha tristeza em ver que a maior parte da casa por fora estava coberta, pois um grande trabalho de restauração e limpeza essa em progresso – as janelas, agora, são revestidas em ouro! Eu ainda volto lá para ver isso tudo!

Entrando na casa, a gente já se depara com a linda decoração e, mais uma vez, voltamos no tempo. A sensação é de que entramos em Orgulho & Preconceito (2005).

Caminhando nos passos da Elizabeth, eu parecia uma idiota andando por aquela casa, sempre sorrindo, completamente encantada – devo confessar que uma das melhores coisas de viajar, pra mim, é viver esses momentos “filme/livro”, estar em lugares que eu vi pela TV ou que só imaginei é surreal.

A biblioteca, que não vemos no filme, é o sonho de qualquer leitor. Acho que eu compreendo o porque de não deixar os visitantes passarem da porta – se eu entrasse, nunca mais conseguiria sair.

Uma das partes mais lindas e legais para uma fã de carteirinha de Orgulho & Preconceito é a galeria de estátuas. Mais um daqueles momentos em que a gente se sente como a Elizabeth. Infelizmente, a estátua do Matthew, que ficou exposta por algum tempo não estava lá. É a minha opinião, compartilhada com a Samanta, que a Duquesa de Devonshire (dona da casa e para quem a estátua foi presenteada) é muito egoísta e quer ficar com a imagem do nosso muso só para ela.

 

A galeria de estátuas é a ultima parte da casa a qual os turistas em acesso. Depois disso, somos direcionados aos jardins – sim, porque todo aquele caminho até a casa NÃO é considerada jardim.

Os jardins são ENORMES! Conservatório, labirinto, o chafariz que aparece no final alternativo do filme de 2005… Não consegui ver tudo. Acho que mais de um dia é necessário para explorar todo o espaço que é humildemente chamado de jardim.

Para mim, uma das coisas mais legais dos jardins foi andar pelo caminho feito pela carruagem que os Gardiners e a Elizabeth fazem para chegar a Pemberley.

Chatsworth foi um dos lugares mais lindos que eu visitei na vida. A casa é divina, mas a paisagem foi o que realmente me tocou. Como visitei a casa no final de setembro, o outono estava chegando, e as cores eram maravilhosas – verdes, vermelhos e marrons se misturando e criando o cenário perfeito, ainda mais com aquela casa lindíssima no meio disso tudo.

Espero um dia poder voltar lá sem que a casa esteja em reforma para finalmente poder andar onde a Elizabeth e o Darcy tem aquela conversa extremamente ‘awkward’ quando eles se encontram em Pemberley. Ahhh, o encontro em Pemberley é minha cena preferida, seja no livro, na série ou no filme. Visitar esse lugar foi mesmo mágico!

Deixo vocês com uma imagem da casa, que assim como a primeira, não é minha. Não é lindo esse lugar?

Para mais informações sobre esse paraíso: http://www.chatsworth.org/

Até o próximo post,

Deborah

PS.: Infelizmente, não encontrei o Mr. Darcy por lá, mas não desisti da minha busca!

(Clique nas imagens para vê-las em melhor resolução)


18 Comentários on “Aventuras pela Inglaterra de Jane Austen: Chatsworth”

  1. Deisy Rodrigues disse:

    Deborah eu fico emocionada só de ver as fotos, imagino a sua emoção em poder está vivenciando esses lugares que não saem da nossa mente, obrigada por compartilhar com a gente mais umas das suas aventuras!!!

  2. Bruna:) disse:

    CARAMBA! Que lugar mais maravilhoso *.*! Um dos meus sonhos é ir para Londres, amo tudo que vem de lá! Imagino como deve ser maravilhoso visitar um lugar que significa tanto para nós. Parabéns pelo seu blog, amo o conteúdo, é tudo perfeito!!!
    ;*

  3. Maravilha de post! Deborah e Samanta vocês estão de parabéns por essa série maravilhosa de posts. Já estou ansiosa pelo próximo!!!

  4. Luciana disse:

    Estou emocionada! Amei o seu relato e espero um dia ter esta mesma emoção. 🙂

    As fotos são maravilhosas e o seu lado aventureiro é tudo de bom.

    Curtindo tudo!!!!!!!!!!

  5. Fernanda M. Barboza disse:

    Que emocionante!! Amo Londres e eu adoraria conhecer Pemberley!! Que egoísmo da dona da casa não expor a estátua do Matthew!! Mais seria perfeito visitar Pemberley e parecer que estou dentro do fime Orgulho e Preconceito (2005)! Adorei esse artigo!

  6. claudia garcia moura disse:

    Meeeuuu Deeeuuusss,Deborah!!!!
    Dá pra perceber a emoção que você sentiu.É um sonho que eu tenho.Imagino você passando por portas e estátuas,imaginando esbarrar com o Matthew.Ou passando pelo lago imaginando o Colin chegando todo molhado!!Nossa!!É melhor nem pensar!Adorei seu depoimento,e agradeço à você e à Samanta por este post.Bjus

  7. Renata disse:

    Nossa, quase choro só vendo as fotos! É inevitável não se sentir como Elizabeth (e procurar pelo ‘nosso’ próprio Mr. Darcy *.*)!

  8. eduarda barros disse:

    Fiquei , emocionada com o post . dá até vontade de chorar 😀

  9. Flavia Alinee disse:

    É emocionante ler o post e ver as fotos, fico a imaginar o que é sentir tudo pessoalmente, assim a flor da pele, deve ser mais que uma emoção… Deve dar a sensação de estar dentro de um daqueles sonhos dos quais não se quer nunca acordar, só de imaginar estar lá!
    Muito Lindo!

  10. juliana disse:

    lindo, lindo, lindo!
    foi por acaso que descobri o seu blog, e finalmente achei pessoas que gostam da jane tanto quanto eu! minha mãe disse que eu estava ficando meio obcecada ahhahaha( devo estar mesmo, porque assisto orgulho e preconceito umas duas vezes por semana e leio o livro mil vezes por ano, isso implica eu deixar de ler os livros da escola pra reler orgulho e preconceito ._.) espero um dia ter a oportunidade de fazer uma viagem dessa, tenho certeza que ia amar *-*

  11. Carol Neves disse:

    Estou adorando “Aventuras pela Inglaterra”, o de Bath foi maravilhoso e este nem se fala… Chatsworth é incrivelmente linda… Suas informações são extremamente preciosas, Déborah, principalmente para quem tem o sonho de um dia fazer esse passeio! E as fotos e o texto…

    Parabéns pela série, meninas! Não passo um dia sem visitar seu blog, Samanta!

    Estou ansiosa pelo próximo post!
    Beijos.~*

  12. Sabrina F. Lima disse:

    Olá!
    Eu não sei se você ainda vê esses posts antigos, mas eu P-R-E-C-I-S-O saber… Onde você pegou o trem pra a cidadezinha perto de “Pemberley”? Eu ficarei por algumas semanas em Londres (estou aqui agora) e queria saber exatamente como fazer pra ir, já que o Google Maps só nos ajuda a dar voltas e voltas.
    Bjos’

    • Deborah disse:

      Olá, Sabrina!
      Tu podes pegar um trem para a cidade de Chesterfield e de lá pegar um táxi ou um ônibus para Chatsworth. Os taxistas estão habituados a levar as pessoas parar “Pemberley”, já que é uma das principais atrações da região.
      Nesse site aqui, que é o oficial da casa, tu podes encontrar todas as informações sobre a visita, de como chegar a preços e horários de abertura.
      Espero que tu te divirtas por lá tanto quanto eu 🙂
      Beijos,
      Deborah

  13. Luciana disse:

    Boa tarde!
    Tenho muita vontade de conhecer as principais locações de Orgulho e Preconceito (do filme de 2005), Samanta vc pode dar umas dicas, tipo o ônibus que vc pegou depois do trem, quanto tempo leva a viagem total desde Londres até Chatsworth, e se vc visitou as outras residências e o templo de Apollo (que é onde ele se declara para ela), caso tenha visitado me conte como fez para chegar em cada um deles.
    Obrigada!

  14. Priscilla disse:

    Samanta, otima materia. Sou mega fã do filme e serie e estou pensando agora em outubro ir para Inglaterra para conhecer os castelos, mas tem 02 lugares que eu acho lindo e queria conhecer também: um é o local onde é a capa do DVD onde é a Lizzy passeando pelo campo e apenas uma arvore e o outro é o local onde também o local onde a Lizzy está sentada comendo uma fruta junto com os tios antes de ir para Pemberly. Por acaso você tem ideia de onde são esses locais? Muito obrigada. Se você conseguir também me passar outras dicas vou ficar muito feliz.

  15. […] Texto do blog: https://samantaf2010.wordpress.com/ […]

  16. Debora Franchi Evangelista disse:

    Oi, meu nome é Debora e vou agr em abril em Chatsworth house. Comprei as passagens pra ir para Chesterfield, mas no site da Chatsworth house fala que pra ir para lá tem que pegar um ônibus que vai para outra cidade e nessa cidade pegar um outro ônibus ate Chatsworth house.
    Gostaria de saber , como que você fez ou faz pra ir para lá (Chatsworth house).
    P.s : pelo seu post eu comprei passagens para Chesterfield. ME AJUDE !!! ESTOU LERDIDA.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s