A Última Música – Nicholas Sparks

Mais uma vez Nicholas Sparks nos mostra porque é considerado o mestre do romance moderno e porque seus livros são adorados por leitores de todo o mundo. Seguindo a tradição de seus mais belos romances, ele agora nos apresenta uma comovente história sobre família, amizade, amor, amadurecimento e especialmente sobre como perdoar e recomeçar.

Aos dezessete anos, Verônica Miller, ou simplesmente Ronnie, vê sua vida virar de cabeça para baixo, quando seus pais se divorciam e seu pai decide ir para a praia de Wrightsville, na Carolina do Norte. Três anos depois, ela continua magoada e distante dos pais, particularmente do pai. Entretanto, sua mãe decide que seria melhor os filhos passarem as férias de verão com o pai na Carolina do Norte.

O pai de  Ronnie, ex-pianista, vive tranquilamente na cidade costeira, absorto na criação de uma obra de arte que será a peça central da igreja local. Ressentida e revoltada, Ronnie rejeita toda e qualquer tentativa de aproximação do pai e ameaça voltar para Nova York antes do verão acabar. É quando Ronnie conhece Will, o garoto mais popular da cidade, e conforme vai baixando a guarda, começa a apaixonar-se profundamente por ele, abrindo-se para uma nova  experiência que lhe proporcionará uma imensa felicidade – e dor – jamais sentida.

Uma história inesquecível de amor, carinho e compreensão – o primeiro amor, o amadurecimento, a relação entre pais e filhos, o recomeço e o perdão – A ÚLTIMA MÚSICA demonstra, como só Nicholas Sparks consegue, as várias maneiras que o amor é capaz de partir e curar seu coração.

Chorei lendo esse livro, coisa que não imaginei que fosse acontecer. A princípio achei que seria meio bobinho já que como disse antes a Miley Cirus estrelou o filme baseado nesse livro. E realmente o romance da história não passa de beijinhos entre o casal, porque não é o romance que é o foco principal da história, mas sim o relacionamento dela com o pai.  Eu não comprei o livro, baixei na internet e a tradução era horrível, mas mesmo assim a história conseguiu me prender, e mas para o fim é que a história me ganhou mesmo. O filme ainda não saiu em DVD, então não posso dar minha opinião, mas vou tentar superar meus preconceitos com a protagonista.

03/12/2010 – Já tem mais de um mês que vi o filme mas equeci de comentar. Enfim, achei ‘bonitinho’ mas acho que muito da história se perdeu. O que mais me emocionou no livro que é o relacionamento dela com o pai, quase não é retratado. Ficou com ares de filminho adolescente, quase ao estilo Disney. Aliás parece que tentaram adaptar o filme à Miley Cyrus, e não o contrário. Resumindo, eu gostei, mas não chega aos pés da obra prima do Nicholas Sparks.


Querido John


“Querido John” narra a história de um jovem soldado americano, John, que se apaixona por Savannah uma estudante conservadora. Quando Savannah Lynn Curtis entra em sua vida, John Tyree sabe que está pronto para começar de novo. Ele, um jovem rebelde, se alista no exército logo após terminar a escola, sem saber o que faria de sua vida. Então, durante sua licença, ele conhece Savannah, a garota de seus sonhos. A atração mútua cresce rapidamente e logo transforma-se em um tipo de amor que faz com que Savannah jure esperá-lo concluir seus deveres militares. Mas ninguém pôde prever que os atentados de 11 de Setembro pudessem mudar o mundo todo. E como muitos homens e mulheres corajosos,John deveria escolher entre seu amor por Savannah e seu país. Agora, quando ele finalmente retorna para Carolina do Norte, John descobre como  o amor pode nos transformar de uma forma que jamais poderíamos imaginar.

Ouvi primeiro falar do filme do que do livro neste caso. Estava procurando alguma coisa para ler, mas que fosse fácil e leve, então como sempre optei por um romance. Eu estava lendo “A Cabana” mas parei na metade, e não sei quando vou retomar. Sabe quando o livro não te prende?? Esse não me prendeu. Então achei esse “Querido John” e como disse já tinha ouvido falar do filme, só que como não saiu em DVD ainda não assisti. Resumindo li o livro em duas noites. É assim quando eu gosto, começo e não consigo parar. A princípio achei que seria um romance água com açúcar, mas me surpreendi. Achei bom mesmo… até o final, que a maioria deve ter odiado, porque todo mundo quer um final feliz em um romance, mas a vida real também às vezes é injusta né?

Não sou muito boa em fazer críticas e tal, porque nunca lembro de nada específico pra comentar, comigo é assim, ou gosto ou não gosto. Fui procurar outros livros desse mesmo autor, e me surpreendi de ver que ele é autor de vários romances que viraram filmes. “Diário de Uma Paixão” e “Um Amor Pra Recordar” acho que são os mais famosos. A mais recente adaptação é “A Última Canção”, mas quanto a esse eu ainda tenho minhas dúvidas quanto à escolha da atriz protagonista.. Miley Cirus???? Ah por favor… tem tanta atriz jovem talentosa e escolhem logo ela? Vou esperar assistir o filme antes de criticar de fato, mas não consigo acreditar que escolheram essa menininha. Então meu próximo livro provavelmente vai ser esse A Última Canção.