Semana Abigail Reynolds – Blog da JASBRA

Recebi um convite  da Adriana do blog Jane Austen Sociedade do Brasil, para escrever uma resenha sobre os livros da Abigail Reynolds. Como são sete livros, as resenhas vão ser postadas durante a semana. Fiquei muito feliz com o convite, e posto abaixo o link para quem quiser dar uma conferida no que eu escrevi por lá:

Link: Semana Abigail Reynolds

1º Post: Impulsive & Initiative / To Conquer Mr. Darcy

2º Post: The Last Man In The World

3 º Post: By Force and Instinct

4º Post: Without Reserve

5º Post: From Lambton to Loungbourn / What Would Mr. Darcy Do?

6º Post: Mr. Darcy’s Obsession

Anúncios

Fanfic – An Ever Fixed Mark


Ok, adorei essa fanfic e resolvi compartilhar. Eu não escrevi, apenas traduzi. Os créditos estão no final do texto.

An Ever Fixed Mark (Um marco eterno*)

Elizabeth sentou-se na base da árvore com a cabeça apoiada sobre os joelhos enquanto seus braços abraçavam suas pernas próximas ao corpo. Lágrimas que tinham começado em silêncio logo se transformaram em soluços, e ela não foi capaz de detê-los. Aos seus pés estavam as páginas esparsas de uma carta.

Ela estava vagando pelo parque entre Rosings e o presbitério de Hunsford desde que o Sr. Darcy tinha lhe entregado o grosso envelope com o nome dela escrito nele em uma nítida letra masculina. O conteúdo, que evocou nela uma variedade incrível de emoções conflitantes, havia sido lida tantas vezes que ela mal podia compreender o seu estado atual. Raiva, choque, descrença e vergonha lutavam por proeminência. Esta agitação, juntamente com uma noite insone, encontrou sua libertação nestas terríveis e amargas lágrimas. Como as lágrimas muitas vezes fazem, elas trouxeram um certo alívio, lavando a raiva e  deixando apenas o remorso no seu rastro. Seu único pensamento coerente era: “O que eu fiz?”

Nem vinte metros de distância estava Fitzwilliam Darcy.

Clique aqui para ler o resto: An Ever Fixed Mark



Filmes

Essa semana, pela primeira vez em muito tempo, eu resolvi não começar a ler nada novo. Isso porque eu tenho um objetivo: assistir a todos os filmes que eu queria assistir (alguns deles bastante antigos) mas que, por um motivo ou por outro, eu ainda não tinha conseguido ver. Coloquei minha internet para um bom uso e baixei tudo que eu consegui encontrar.

Desde domingo já assisti O Discurso do Rei (eu estava adiando porque me disseram que era chato, mas não achei!); Diário de Uma Paixão; Três Vezes Amor; Desejo e Reparação; e hoje eu assisti Apenas Uma Vez. Quanto ao último, para quem não conhece, deixo o vídeo abaixo como uma indicação que só essa música, que ganhou o Oscar de melhor canção, em um filme totalmente despretensioso de baixíssimo orçamento (o que quer dizer muito), já vale o filme.

Ainda tenho até sábado (meu prazo final que estabeleci para mim mesma) para assistir: Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças; Mensagem para Você; Grandes Expectativas; As Pontes de Madison; Encontro Marcado e Chocolate. Ainda tenho mais alguns que quero adicionar na lista, filmes que eu tenho há tempos mas que nunca parei para assistir, e outros que eu quero rever, como Caminhando nas Nuvens, Amor nos Tempos do Cólera, Cidade dos Anjos, etc. E nesse meio tempo, vou me obrigar a ler pelo menos os dois livros que ganhei de Natal e ainda não achei tempo para ler: O Milagre (Nicholas Sparks) e Maldito Karma (David Safier), definitivamente tenho que dar um tempo livros sobre Orgulho e Preconceito, mas será que eu consigo?


Pemberley Medley – Abigail Reynolds

Eu adorei todos os livros da Abigail Reynolds que eu li (7 no total), então quando foi lançado esse não tive dúvidas e comprei na hora. Pemberley Medley é uma compilação de 5 histórias curtas, todas baseadas em Orgulho e Preconceito na linha ‘e se?’. Três delas eu já tinha lido antes de serem publicadas como livro em sites de fanfic. Todas as histórias são ótimas, mas eu gostei mais das duas que ainda eram inéditas para mim, Such Differing Reports e The Most Natural Thing. Abaixo um resumo de cada história.

Intermezzo – E se depois de Darcy ter contado à Bingley a verdade sobre os sentimentos de Jane por ele, Bingley imediatamente fosse para Longbourn para reatar seu relacionamento com ela, e ao invés de retornar com o amigo, Darcy se mantivesse distante incapaz de encarar Elizabeth novamente? Ele até mesmo se recusa a ser padrinho de casamento de Bingley. É necessária alguma ajuda do cupido na forma de Georgiana para finalmente trazer Darcy e Elizabeth juntos.

The Rule of Reason (A Regra da Razão) – Essa história faz parte de um caminho alternativo do livro Impulsive & Initiative (To conquer Mr. Darcy). E se Lydia tivesse fugido com Wickham depois que Darcy e Elizabeth já estivessem noivos? Um deles sentiria a obrigação de romper o noivado ou esta crise os faria mais próximos?

Such Differing Reports (Relatos Tão Divergentes) – E se Elizabeth acreditasse nas suspeitas de Charlotte que Darcy está apaixonado por ela e tomasse medidas para tentar desencorajá-lo? Ao invés de serem atraídos um pelo outro, todas as vezes que ele se encontram, eles acham uma nova maneira de compreender mal uma ao outro. Em desespero, Darcy resolve escrever uma carta para Elizabeth para transmitir o que ele não consegue encontrar palavras para dizer. Essa carta é bem diferente da original do livro, incrivelmente romântica!

The Most Natural Thing (A Coisa Mais Natural) – O que Darcy faria se Elizabeth se oferecesse para ele em troca da ajuda dele para a família dela depois da morte do seu pai e da fuga de Lydia com Wickham? Ele irá se vingar pela rejeição dela ou mostrar-se um homem de honra?

A Succession of Rain (Uma Sucessão de Chuva) – E se vários dias de chuva impedissem Darcy e Elizabeth darem aquela caminhada no final do livro original? E se eles fossem forçados a manter o relacionamento deles em segredo debaixo do nariz da família dela?


Saudade – Pablo Neruda

Saudade

Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já…

Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida…

Saudade é sentir que existe o que não existe mais…

Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam…

Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.

E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.

O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.

Pablo Neruda


Quote – Jane Austen

Life seems but a quick succession of busy nothings.” Jane Austen