Mr. Darcy Takes the Plunge

Tradução do título: Mr. Darcy dá o mergulho. Esse livro se passa quase num universo paralelo de Orgulho e Preconceito. Nele os Bennets são uma família razoavelmente rica, a Sra. Bennet é uma mãe sensata e amorosa, e Longbourn tem até um herdeiro (não Mr. Collins, que graças a Deus não aparece), um adorável menino de 3 anos chamado Robert. Quanto aos Darcy, eles também estão presentes em maior número, já que George e Lady Anne Darcy, pais de Fitzwilliam Darcy ainda estão vivos, e tem mais uma filha além Georgiana, chamada Anna.

A história é uma comédia romântica, e apesar de eu ter achado meio confuso de ler por causa das gírias de época, trocadilhos e palavras de duplo sentido, é hilária. Alguns dos momentos mais engraçados envolvem um Darcy bêbado, com uma língua presa, por causa de “Miss Bizzy Lennet.. Miss Libazziff… Lizzabiff… LisshyBit… DeeeelisheyBit….” (ele queria dizer Miss Elizabeth Bennet). E quando ele pede para Bingley ensiná-lo a dançar valsa, Bingley no papel da ‘dama’, enquanto o Coronel Fitzwilliam cantarola uma música para os dois dançarem, uma cena que acaba sendo presenciada por Elizabeth.

Quase todo mundo tem uma personalidade ou caráter diferente, e alguns casais são trocados. Alguém já imaginou Jane Bennet e Coronel Fitzwilliam como um casal? Ou Charles Bingley e Anne de Bourgh? O que não muda, é claro, são Elizabeth e Darcy, que se apaixonam um pelo outro, mas como ela também é rica, as dificuldades são menores. Os dois são muito fofos e engraçados juntos. A história toda é temperada com uma malícia e ao mesmo tempo uma inocência que é difícil de explicar, mas delicioso de ler!

Anúncios

Fate and Consequences – Linda Wells

Tradução do título: Destino e Consequências. Uma variação de Orgulho e Preconceito. No original Darcy encontra Georgiana em Ramsgate antes que Wickham consiga fugir com ela. Mas e se Darcy tivesse chegado tarde demais, e a reputação da irmã dele tivesse sido terrivelmente danificada? Nessa história Darcy encontra Elizabeth logo após recuperar a irmã, em Meryton, e Elizabeth começa a se corresponder com ele e Georgiana, com ele, clandestinamente é claro, pois não era apropriado trocar cartas com um homem solteiro. A inversão que ocorre é que agora é Darcy que tem que se questionar se ele é bom o bastante para Elizabeth, já que a reputação dele foi perdida junto com a irmã, e sofreu uma queda significativa aos olhos da sociedade.

Esse é o quinto livro da Linda Wells que eu leio, e nenhum deles superou o primeiro, Memory (que faz parte de uma trilogia). A história é fofa e tudo, mas não me conquistou. E como todos os livros dela, tem uma pitada de sexo gráfico, mas atualmente ando meio confusa sobre o que considerar de bom gosto ou não. Acho que acabei me acostumando, e não me escandalizo mais. E seguindo a fila, tenho mais três variações de O&P para a próxima semana. Quem sabe Mr. Darcy Vampyre? Tenho este há quatro meses e ainda não me animei a ler! Gosto de Crepúsculo e de O&P, mas será que dá pra misturar os dois?


First Impressions – Alexa Adams

First Impressions – A Tale of Less Pride and Prejudice

Tradução do título: Primeiras Impressões – Um conto de menos orgulho e preconceito. Para não fugir da rotina, mais uma história no estilo ‘e se?’ baseada em Orgulho e Preconceito. E se Darcy não tivesse se recusado a dançar com Elizabeth Bennet na assembléia de Meryton? E se ele nunca tivesse dito a famosa frase: ‘Ela é tolerável, eu suponho, mas não bonita o bastante para me tentar.’? O título indica bastante do que se trata, uma história de menos orgulho e preconceito. Eu resolvi ler esse livro porque tinha 5 estrelas na avaliação dos leitores da amazon.com e vários elogios, então eu imaginei que deveria ser muito bom. Com certeza eu não daria 5 estrelas, pois a história não me conquistou. Um ponto a favor, que eu acho que influenciou a avaliação do livro, é que a linguagem que a autora usou no livro é a mais parecida com Jane Austen que eu já li em fanfics. Não tem nem beijo, bem amasso, mantendo a inocência que tem no original.

Quanto à história acho difícil acreditar que o fato de ele ter dançado com ela (meio contra a vontade) iria mudar tanta coisa, porque vale lembrar que ele era um esnobe orgulhoso até ser humilhado pela rejeição dela. Se é para mudar, eu prefiro um Darcy, digamos assim, mais caloroso… O Darcy retratado aqui não mexeu comigo, e nem a Elizabeth é lá essas coisas.

A autora tentou criar um romance entre Mr. Collins e Mary Bennet que me embrulhou o estômago. E Lady Catherine que acaba aprovando Elizabeth? Gosto muito mais quando ela é malvada mesmo.

No fim das contas, acho que tirando o orgulho e o preconceito, tiraram o mais interessante da história.


Chance Encounters – Linda Wells

Tradução do título: Encontros Casuais. Mais uma história no estilo ‘e se?’ baseada nos personagens de Orgulho e Preconceito. E se Mr. Darcy não tivesse ido para Netherfield com Bingley? E se ao invés de conhecer Elizabeth em Hertfordshire, ele a conhecesse por acaso em uma noite no teatro em Londres? Essa é a trama de Chance Encounters (Encontros Casuais).

Já li livros de fanfic o suficiente para não me irritar tanto com a mudança de caráter e personalidade dos personagens, contanto que não mudem muito Darcy e Elizabeth; e mesmo isso é inevitável. Além do vilão habitual que sempre é Wickham, essa história tem mais um vilão bastante improvável: Mr. Bennet. Aqui ele é um pai possessivo que faz de tudo para separar Elizabeth de Darcy, pois ele não quer que a filha deixe ele. Além disso, ele tem um filho bastardo que foi adotado por uma família rica, e que é amigo de Darcy.

Não é das histórias mais interessantes que eu já li, um pouco exagerada na verdade. Às vezes me sentia lendo uma novela mexicana de tantas reviravoltas… Eu gostei tanto da série Memory, dessa mesma autora que achei que resolvi ler as outras publicações dela, e atualmente estou lendo mais uma chamada Fate and Consequences, que até o momento já achei muito melhor que essa.


Quote

“Nunca resisto as tentações, porque descobri que coisas que são ruins para mim não me tentam.” George Bernard Shaw

Livros de fanfic também são cultura! Tirei essa citação do Livro Memory Volume 3 que estou lendo atualmente. Mas mesmo assim não salvo de erros, já que o autor dessa frase nasceu em 1856 e o livro se passa em 1811, e nos créditos a frase é atribuída a Shakeaspeare (Richard III ato I), mas não achei em lugar nenhum. E agora quem está certo?